Licença Política

Assim como a licença poética permite que se transpasse regras gramaticais em prol da qualidade estética, a “licença política” parece permitir que rigor, objetividade e coerência intelectual sejam colocados em segundo plano, abrindo espaço para a defesa política de uma causa. Em um vale-quase-tudo caracterizado por certezas, provas cabais, oponentes ignorantes ou ignóbeis e tramas com finalidades ocultas, a complexidade de vários debates perde a vez e cede lugar à simplicidade maniqueísta de embates políticos. Ela pode por vezes ser útil, mas certamente não sempre.Leia mais »

Anúncios

Sobre Rótulos

Direita e esquerda, classe média, neoliberalismo, o grande capital, especulação, Estado paternalista, petista, as elites… É difícil delimitar o que são “rótulos” intelectuais. Essa não é uma definição binária (ou se está rotulando ou não), mas sim uma noção de intensidade. Qualquer conceito, ou até palavra, é um rótulo de uma ideia mais ou menos complexa que queremos expressar e é compreendido através das lentes (ou ouvidos?) do ouvinte. Seu uso é, portanto, indispensável, mas se feito em excesso e para tratar de temas menos consensuais podem, ao invés de facilitar o diálogo, interditar o debate de ideias com mais nuances.Leia mais »

Teto de Gastos: Há Alternativa?

Apesar do objetivo desse espaço ser falar de temas variados de economia, não consigo fugir por muito tempo do tema que domina a pauta econômica: o ajuste fiscal. As duas principais discussões nesse campo têm sido a proposta de emenda constitucional (PEC) que limita o crescimento dos gastos do governo e a reforma da previdência – temas que já abordei em diversos textos, mas sempre de maneira um tanto genérica para deixar a conclusão a cargo do leitor. Agora que as propostas se aproximam do debate parlamentar, julgo oportuno apresentar minha visão de maneira mais clara, com o intuito de dar números aos argumentos. Note que esse é um texto que trata exclusivamente do problema fiscal, sem qualquer pretensão de comentar outros aspectos e propostas desse governo. Independentemente de quem estivesse no poder, o problema fiscal é grave e precisa ser encarado, e a questão é debater qual a melhor maneira fazê-lo.Leia mais »

Uma Visão Sobre o Impeachment (ou Golpe?)

Como colocou o advogado de defesa José Eduardo Cardozo, o impeachment é uma pena de morte política. É um fato gravíssimo que, sob a condição necessária de haver crime de responsabilidade, permite ao poder legislativo derrubar o chefe do poder executivo, num choque entre poderes que mina o funcionamento normal da democracia representativa. Também é gravíssima a adjetivação de um político de carreira como golpista, e ambas as questões exigem ponderações objetivas, tentando não passar pela construção de “narrativas úteis” influenciadas por objetivos políticos. É esse esforço que me proponho fazer, consciente que certo grau de parcialidade sempre haverá. Escrevi uma reflexão para registro próprio, mas como há diversos conceitos econômicos em jogo, adaptei-a pensando no espírito desse blog, na expectativa que incite o debate e me ajude a amadurecer as ideias. Trata-se de um texto atipicamente longo para os padrões desse espaço, mas julgo que a questão mereça a devida atenção.Leia mais »